Bem vindo! Willkommen! Você chegou  a “casa virtual” da Zotter Chocolates. Aqui você encontra notícias sobre os bastidores da fantástica fábrica de chocolates, detalhes e curiosidades sobre nossas linhas de produto, novidades sobre orgânicos e comércio justo, receitas de lamber os beiços e muito mais.

  • Academy-Of-LondonSlider

    Zotter premiado em Londres

    Chocolate Premiado em Londres Zotter ganha diversos prêmios: 2 x Ouro, 8 x Prata e 5 x Bronze Todos os...

  • Header

    Labooko Coco

    De formato pouco comum, Andreas H. Gratze optou por compor a embalagem da “barra com espírito caribenho” na Era Eduardiana...

  • Slider

    Lançamento: Labooko Superfood “Medium Raw” 75%

    A Zotter criou esse “super-chocolate”, assim chamado por conter “super ingredientes” (Superfood). Além dos anti-oxidantes contidos nos 75% de porcentagem...

  • Slider

    Chocolate da Índia?!

    Cacau da Índia? Com certeza não é de forma alguma algo a que se associe de imediato com o país...

  • SolarPanel

    De onde vem a energia?

    Global Nos meses frios, é quando se percebe mais particularmente, a ausência de energia. Alguns raios de sol podem ajudar...

  • slider

    Labooko Coco e Comfort Food

    Ao provar o chocolate Labooko coco, eu tive uma epifania. Um insight. Durante a degustação, minhas células olfativas e gustatórias...

  • ZotterHandscooped

    Biografia Zotter / Linha do Tempo

    Josef Zotter, nasce em 21. de fevereiro de 1961 em Feldbach (Estíria, Áustria). Aprendizado da profissão de cozinheiro/garçon e confeiteiro...

  • Cacaulindoslider

    Qual a diferença entre chocolate orgânico e não-orgânico?

    Esse post inaugura uma série de investigações sobre chocolate orgânico. Na verdade, de muitos dos ingredientes que estão envolvidos na...

  • ImagemSlider

    Zotter do Grão-à-Barra

    Como é feito o chocolate? O chocolatier Josef Zotter faz suas criações na propria fábrica, processo conhecido como Bean-2-Bar (Grão-à-Barra)...

  • FamiliaMitzi1

    Ousados, Selvagens e Redondos – Família Mitzi Blue

    Ousado, selvagem e redondo – Mitzi Blue está engajado com as últimas tendências. Títulos Cativantes, design moderno e um pequeno...

Slider

Cacau da Índia? Com certeza não é de forma alguma algo a que se associe de imediato com o país. Mas a terra de especiarias, chás e especialistas em IT – também produz cacau em pequenas quantidades, porém de excelente qualidade.

Viajamos para o extremo sul da Índia, até o Estado de Keral, em sua capital Trivandrum, chamada no original de Thiruvananthapuram, mas todos os “não-indianos” abreviam o nome de bom grado. O lugar é maravilhosamente ensolarado e quente. Isto, obviamente, não é surpreendente, porque Kerala encontra-se perto do equador, e por isso durante o ano todo, não há grandes variações de temperatura. Aqui há condições ideais para o cultivo de cacau, enquanto que no norte da Índia é muito frio. Nós podemos ver o mar bem perto, a apenas alguns minutos distância. Fazemos uma curta parada antes de seguir de carro para os confins interiores. Aqui existe uma rede de canais de água doce, lagos, lagoas e rios que atravessam o país inteiro. As atrações são as casa-barcos tradicionais, que são feitos inteiramente de madeira e fibra de coco, atreladas com cordas. É difícil ignorar o impacto na paisagem, porque existe uma casa flutuante atrás da outra rio abaixo. Mulheres lavam suas roupas sentadas no rio . Existem inúmeras tradições que os indianos preservam perenemente. A Índia, por vezes, parece intocada pela cultura ocidental, o que a torna extremamente atraente.

Cacau maduro à la Bollywood?

Com o Sr. Bijumon Kurian, coordenador de assuntos relacionados à “rica plantação”, partimos para visitar os pequenos agricultores que vivem nos remansos das ilhas. Detalhe: as ilhas estão abaixo do nível do mar! Toda a área é protegida por uma barragem. Este projeto incomum é incrivelmente bem pensado: As ilhas são separadas por canais de água, que foram convenientemente construídos com intuito de resolver os problemas de irrigação. Os primeiros agricultores que encontramos, são duas mulheres. Mãe e filha, ambas são viúvas e vivem com os filhos por meio do cultivo do cacau e de muitos outros frutos, que crescem em seus jardins. Para descobrir os cacaueiros entre coqueiros, mangas e bananeiras, árvores de noz-moscada e muito mais, você precisa de um barco e também de olhos atentos.

Canoa

É como um filme, apesar de não ter ainda chegado aos cinemas, essa integração perfeita da mudança da agricultura para o cultivo orgânico em meio ao ambiente aflorante. Cultivo de cacau é o elenco ideal – para um perfeito filme de Hollywood ou deveríamos dizer Bollywood. Isto é com certeza é fruto dos conselhos Mr. Kurians. Ele é um defensor ferrenho da cultura mista, à qual ele tem vivência desde criança. Como seu pai, que cortou da plantação as árvores da borracha, quando o preço da borracha caiu. Ele aprendeu bastante com essa lição paterna. Desde então, ele aconselha todos os agricultores que dependem de culturas mistas a conviver e suportar a queda dos preços das commodities, ao invés de cortar as árvores. Os preços das commodities variam enormemente e mudam mais rápido do que as árvores. Atualmente, por exemplo é possível ganhar dinheiro tanto com borracha quanto com cacau. Para a agricultura orgânica, Bijumon Kurian decidiu largar de uma vez por todas a amarga experiência dos casos de câncer desenvolvidos proporcionalmente ao aumento SeppFazendeirosde pesticidas no cultivo agrícola. Desde então, ele é um defensor ferrenho da agricultura orgânica. Das cooperativas de agricultores recebem-se somente fertilizantes orgânicos, e há gratuitamente para todos os membros mudas e um seguro de saúde. Por SMS (sim, até mesmo aqui existem telefones celulares!) os agricultores são informados nos lugares mais remotos como estão os remansos do cacau. Nós também visitamos um agricultor vizinho, muito orgulhoso de sua nova instalação elétrica na ilha. Ele nos mostra muito feliz alguns dos seus cocos recém-cultivados.

Ida e vinda das comunidades tribais à vida próspera

Nas montanhas de Idukki visitamos agricultores tribais que receberam permissão do governo para plantar e colher cacau na floresta. As pessoas não têm muito, mas eles vivem bem, porque eles cultivam seu pequeno pedaço de terra que é de apenas 0,5 hectares em cultivo misto e assim têm o suficiente para viver. Há sempre a questão de quais são os parâmetros para medir a prosperidade. Os agricultores vivem aqui em natureza deslumbrante, têm o suficiente para comer e as oportunidades educacionais das crianças são melhores do que em qualquer outra Estado indiana. Kerala tem uma taxa de alfabetização de 94%. Pobreza não há: na verdade, pessoas não dormem na rua, têm suas terras e um teto sobre sua cabeça. Nós também visitamos a escola na área tribal. É um formato mais simplificado de escola. As crianças não usam uniformes aqui, como nas outras escolas e também o inglês não é ensinado e sim a Malayalam, falada por 97% da comunidade em Kerala. No entanto, as crianças aprendem a língua até um nível bem elevado. Existe ainda uma sala de informática com três computadores algo ultrapassados. As crianças são muito inteligentes e, obviamente, animadas e curiosas porque uma equipe de filmagem visitou sua escola.

SeppKids

É provavelmente chamado de intuição

Não apenas as crianças, mas todos os indianos com quem nos encontramos, têm uma maneira atenta e aberta. A atenção, ou deveríamos dizer, a intuição é o que tem nos deixado mais intrigados, pois é algo que não vivenciamos na Europa. Quando reclamamos em alemão, que a iluminação não está correta para a cena, em seguida, imediatamente alguém ajusta a iluminação de forma correta, embora tenhamos falado apenas em alemão e essa pessoa não estava envolvida na conversa. Aconteceram muitos desses momento que simplesmente nos pegaram de surpresa.

Falando francamente, nós teríamos que cortar uma parte do território e levar à Europa. Ao mesmo tempo eu percebi porque os indianos estão em alta demanda no mercado de trabalho assim, e da qualidade do seu cacau só serve para comprovar esse fato. Eles são realmente muito dedicados.

Uma festa para a nova pick-up

Para garantir a qualidade do cacau, a cooperativa tem uma estação central de fermentação. Isto é, todas as culturas agrícolas são fermentadas em um só lugar. Sim, esse também é um negócio familiar. Sr. Thomas foi escolhido pela cooperativa como diretor da área, porque ele é um especialista com mais de 20 anos de experiência e conhece melhor que ninguém o tema. No decorrer do tempo, seu filho Alex já assumiu a liderança dos negócios. Para a fermentação, os grãos de cacau, além de celulose são empilhados em montes. Se tocamos em uma dessas pequenas colinas de cacau, observa-se o quão quente está. O calor faz com que a fermentação progrida, mas não deve ser muito quente, caso contrário, os grãos serão fermentados além do ponto. Portanto, a colina de cacau precisa ser várias vezes rearranjada, de modo que fique alocada em forma ideal. Quando a fermentação dos grãos de cacau é finalizada após alguns dias, eles são colocadas ao sol para secar. Mr. Kurian corta alguns grãos para nos mostrar a qualidade da matéria-prima. Então, discutimos longamente os indicadores de uma boa fermentação e formas de melhorá-la. Mr. Kurian é tão obcecado com qualidade, tal qual nós, por isso é muito divertido para conversar com ele sobre todas as sutilezas e nuances desse processo. Após o teste de qualidade do cacau, ele é embalado em sacos e enviado diretamente para nós por Bergl. Agora a cooperativa adquiriu uma nova pick up. O veículo foi recebido com uma pequena festa. Acompanhado pelo som de tambores, passeamos na pick-up toda decorada ao longo da aldeia.

Tambores

Comida indiana e exibição filme

Além do trabalho com o cacau, Josef Zotter também aprendeu um pouco da culinária indiana. Na cozinha da Sra Jabu ele misturou seu primeiro curry – muitíssimo picante. A comida indiana tem agradado-o bastante, especialmente as Parottas. Durante a viagem inteira ele esmiuçou o olhar em todas as cozinhas, vendo e aprendendo como a comida é preparada.

Se tudo der certo, virá um dos cozinheiros de rua para a Áustria por alguns meses, a fim de cozinhar a comida indiana ideal para degustar assistindo o filme.

De onde vem a energia?
25 Anos de Zotter - 20 Anos de chocolates feitos à mão

FEEDBACK